Arquivo de etiquetas: A Serra do Caramulo como Recurso Didático

A Serra do Caramulo como recurso didático

A Serra do Caramulo como recurso didático promotor da educação para a sustentabilidade é a designação de uma oficina de formação para pessoal docente que teve início em novembro de 2017 e terminará no final fevereiro do corrente ano.

Esta formação resulta da parceria entre o Centro de Estudos e Interpretação da Serra do Caramulo (CEISCaramulo), o Agrupamento de Escolas de Tondela Tomaz Ribeiro (AETTRibeiro), o Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão (CFAE-PB) e a Câmara Municipal de Tondela (CMT). O enquadramento teórico e prático da ação foi proposto pelo CEISCaramulo e pelo AETTRibeiro (no âmbito do projeto “Renascer das Cinzas”).

O CEISCaramulo é uma associação sem fins lucrativos que tem como missão promover o estudo e a investigação nos vários domínios e interesses, designadamente ambiental, geográfico, biológico, geológico, histórico, etnográfico e gastronómico da Serra do Caramulo. O Projeto “Renascer das Cinzas” tem vindo a ser desenvolvido pelo agrupamento de escolas de Tondela Tomaz Ribeiro e foi distinguido com o Prémio Escolar Montepio 2013. Conhecer o património natural, em particular a flora característica e autóctone da serra do Caramulo; pesquisar sobre os efeitos nefastos dos incêndios sobre a biodiversidade, águas e solos; refletir e agir fundamentadamente sobre medidas de planeamento do território e de recuperação do coberto vegetal e da floresta, são as linhas orientadoras deste projeto. No “Germinador de Plantas Autóctones”, estufa construída para o efeito na Escola Secundária de Tondela, são produzidas plantas, a partir das sementes recolhidas pelos alunos e restantes elementos da comunidade educativa. Estas plantas autóctones são utilizadas nas campanhas de reflorestação.

Constitui-se como objetivo central desta formação de professores a implementação de estratégias de ensino/aprendizagem promotoras do sucesso educativo, contextualizadas no território da Serra do Caramulo, que contribuam para o estudo do meio envolvente e promoção do desenvolvimento do território. Os conteúdos abordados serão apresentados sob a forma de vários produtos/materiais (ex.: painéis exteriores, filmes, quiosque multimédia, aplicação móvel, entre outros).

No passado dia vinte de janeiro, tal como estava previsto, os cerca de sessenta formandos e formadores participaram numa saída de Campo na Rota dos Caleiros/Caramulinho. Foi uma jornada exploratória muito interessante, mesmo para aqueles que já conheciam a rota. Os participantes são professores de várias disciplinas desde as Ciências Naturais (Biologia e Geologia), à Geografia, Filosofia, Matemática, Educação Visual, Economia, Educação Física, … Ficaram a conhecer a rota e o seu património que pode agora ser utilizado para contextualizar os conteúdos das disciplinas que lecionam nas suas escolas – são escolas do concelho de Tondela e dos concelhos vizinhos (Carregal do Sal, Santa Comba Dão, Mortágua e Viseu).

O “Posto de Observação da Natureza do Jueus” foi ponto de paragem para o almoço.

Neste edifício, antiga escola primária do Jueus, ficarão expostos os conteúdos trabalhados. Tal só será possível com prestimosa colaboração da Câmara Municipal de Tondela, a quem agradecemos na pessoa do seu presidente, Dr. José António de Jesus, que aliás apoiou esta iniciativa desde início, tendo disponibilizado o transporte para todos os formandos e assumindo o compromisso de materializar os painéis e os vários conteúdos produzidos. No dia 24 de março, todos estes materiais serão apresentados publicamente num seminário aberto a toda a comunidade.

No final desta formação, esperamos que o território da Serra do Caramulo, e em particular a “Rota dos Caleiros/Caramulinho” (local da visita/saída de campo) fiquem dotados de recursos que constituirão uma mais-valia para as escolas e para o território. Os mesmos serão explorados em contexto educativo e, simultaneamente, poderão ser aproveitados para que os habitantes locais e os visitantes se possam apropriar de informação relevante sobre o património do território (só poderemos valorizar e proteger o que conhecemos!…).

Importa referir que esta formação pode constituir-se como uma experiência de articulação curricular interdisciplinar, preparatória do trabalho que terá que ser desenvolvido nas escolas, no âmbito do novo enquadramento da autonomia e flexibilidade curricular dos ensinos básicos e secundários, já implementada em algumas escolas piloto, no presente ano letivo, e que será alargada a todas as escolas, no ano letivo de 2018-2019.

Para terminar, temos que agradecer aos formandos e formadores que disponibilizaram o seu tempo para realizarem este trabalho, bem como ao CFAE-PB e ao AETTRibeiro, aos sócios do CEISCaramulo que colaboraram em toda a logística, à junta de freguesia do Guardão que colaborou na limpeza dos espaços e em particular às pessoas do Jueus que tão bem nos acolheram.

Bem haja a todos.

CEISCaramulo

CEISCaramulo, projetos em desenvolvimento

CEISCaramulo logo
Projetos
A ideia de criar um “Centro de Estudos e Interpretação da Serra do Caramulo” nasceu no âmbito do projeto “Conhecer o que é nosso, para preservar e valorizar”, que o então Agrupamento de Escolas do Caramulo (hoje pertencente ao Agrupamento de Escolas de Tondela Tomaz Ribeiro) apresentou ao concurso promovido pela Fundação Montepio e que mereceu o prémio escolar Montepio 2011.
Nasceu assim o CEISCaramulo como associação sem fins lucrativos, legalmente constituída no dia 09 de abril de 2013 e apresentada publicamente no dia 20 de abril de 2013 (foto1 e 1a). Está sediado na vila do Caramulo, no edifício do Turismo. Tem como missão promover o estudo e a investigação nos vários domínios e interesses, designadamente ambiental, geográfico, biológico, geológico, histórico, etnográfico, gastronómico, etc., da Serra do Caramulo, sem perder de vista o interesse económico e de promoção da região onde se enquadra, potenciando e promovendo o empreendedorismo local (nos estatutos da associação).

Nos apenas dois anos de existência o CEISCaramulo orgulha-se de ter concretizado alguns projetos e de ter colaborado em iniciativas com significado para o território da Serra do Caramulo. Salientamos:

– A participação como entidade parceira da Câmara Municipal de Tondela no projeto “Plantar Caramulo” – no Seminário “Caramulo, pensar o presente, planear o Futuro” (08.03.2014 – foto 2), nas campanhas de Reflorestação (foto3 e 4) e no projeto Padrinhos da Floresta.

– Caminhadas pedagógicas na Rota dos Caleiros (foto 5) com explicações sobre a fauna, flora e geologia.

– Formação para professores/educadores (foto 6) promovida em parceria com o Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão, concretizada em quatro oficinas de formação sob o tema “A serra do Caramulo como recurso didático”. Estas oficinas de formação foram pensadas de modo a promover a construção de materiais didáticos que possam ser explorados na sala de aula para lecionar conteúdos das várias disciplinas do currículo nacional, contextualizados na Serra do Caramulo. É uma forma de promover o estudo, conhecer e dar a conhecer a Serra do Caramulo, não só aos professores como também às novas gerações. Conhecer é essencial para fortalecer os laços afetivos ao território que se habita. Esta formação envolveu já cerca de 80 professores de várias disciplinas e de várias escolas de Tondela e dos concelhos limítrofes. Foram produzidos muitos materiais, validados cientificamente e que através do CEISCaramulo estão disponíveis para os professores utilizarem na prática letiva e potenciarem o processo ensino/aprendizagem.

– No passado dia 6 de junho foram inaugurados três espaços na serra do Caramulo correspondentes a três projetos desenvolvidos pelo CEISCaramulo em parceria com a Câmara Municipal de Tondela (CMT), Junta de Freguesia do Guardão (JFG), Agrupamento de Escolas de Tondela Tomaz Ribeiro (AETTRibeiro) e Confraria do Cabrito e da Serra do Caramulo (CCSC).

O primeiro espaço inaugurado foi a “A escola dos nossos avós” (foto 7) projeto desenvolvido em parceria com o agrupamento de escolas de Tondela Tomaz Ribeiro e a Confraria do Cabrito e da Serra do Caramulo (CCSC) e conta com a colaboração da Junta de Freguesia do Guardão, Câmara Municipal de Tondela e Museu do Caramulo. A ideia de criar um espaço para exposição do espólio relativo à “escola primária do Estado Novo” que se encontrava disperso pelas escolas do Caramulo e em risco de se perder, partiu de um grupo de professores do antigo agrupamento de escolas do Caramulo. Aquando da criação do CEISCaramulo e no âmbito de uma oficina de formação para pessoal docente sob o tema “A Serra do Caramulo como Recurso Didático: História, Cultura e Património(s)” foi concretizada a ideia e reuniu-se o material numa sala da antiga escola primária do Guardão, agora sede da Confraria do Cabrito e da Serra do Caramulo, recriando uma sala de aula da escola do tempo dos nossos avós. Está disponível para ser visitada pelo público em geral e por grupos escolares em particular, para tal conta com a parceria do Museu do Caramulo.

A “Oficina do Burel” (foto 8), localizada no edifício do Turismo do Caramulo, foi o espaço seguinte. Este projeto nasceu na escola E.B. 2,3 do Caramulo e mereceu alguns prémios. Graças à parceria com o Agrupamento de escolas de Tondela Tomaz Ribeiro foi possível criar esta oficina que está a funcionar com a colaboração da população local. O burel e a capucha, símbolos que melhor caracterizam a serra do Caramulo, são os elementos centrais deste projeto. Conhecer o passado e reinventar o futuro constituem a motivação e a linha orientadora de todo o trabalho desenvolvido. Ao fim de cerca de três milénios de povoamento, em que o homem e a serra souberam construir uma relação de reciprocidade e respeito que se traduziu num equilíbrio dinâmico e sustentável, em que as populações quiseram e encontraram forma e pretextos para se fixarem, sobreviverem e expandirem os povoados. Desenvolveram técnicas de “domar” a terra, as plantas e os animais e modos engenhosos para resistirem ao ambiente exigente e conseguirem o seu sustento. É neste modo de vida que surgiu e se construiu a cultura serrana! O trajar e a sua confeção, desde a produção das fibras à sua concretização em peças de vestuário diversas são elementos importante desta cultura. O burel, elaborado a partir da lã de ovelha, matéria-prima em abundância na serra de outrora, tecido rude e áspero, mas resistente e suficientemente maleável para talhar a capucha, peça altamente versátil, e que assumia especial importância para fazer frente aos rigores do clima, adquirem lugar de destaque nestes saberes ancestrais.

A Oficina do Burel pretende recuperar estes saberes ligados ao burel, e através deste conhecimento manufacturar produtos antigos como a capucha e outros que se inspirem na tradição, mas que assumam a modernidade e tenham interesse e utilidade nos dias de hoje. Não existe oferta de artesanato produzido na serra. Os turistas procuram, mas o que se vende nos estabelecimentos comerciais vem de fora, não representa de facto a serra. Numa época em que são cada vez mais valorizados os produtos endógenos e diferenciadores dos territórios, pensamos ser uma aposta com elevadas possibilidades de sucesso. Entretanto, neste âmbito foi pensada e concretizou-se uma formação na área da confeção e costura para dotar os formandos de competências específicas que lhes permitissem ser capazes de analisar tendências de moda e planear e desenvolver peças têxteis com destaque para o burel, efetuando a sua modelação, corte e confeção. Estes formandos podem também integrar este projeto da oficina do burel. Esta formação foi desenvolvida por vários parceiros – Câmara Municipal de Tondela, o IFP e a CEARTE e CEISCaramulo, teve a duração de 300 horas e envolveu cerca de 16 pessoas desempregadas. Da formação resultaram peças em burel de grande valor artístico e comercial o que justificou uma exposição – “Poética Caramulana, moda têxtil artesanal” que está patente no Turismo do Caramulo de 6 de agosto a 6 de setembro.

O último espaço inaugurado a 6 de junho foi o “Posto de observação da natureza do Jueus” (foto 9), resultado da refuncionalização da antiga escola primária do Jueus. O posto de observação da natureza do Jueus pretende contribuir para que a população local e os visitantes se apropriem de informação correta e adequada, para conhecer o património natural e etnográfico da serra do Caramulo, numa óptica de valorização e preservação.

O Posto de Observação da Natureza do Jueus é composto por duas unidades funcionais. Uma fechada, resultante da adaptação do edifício da escola do Jueus e um alpendre em madeira, aberto, instalado no recinto do recreio. Este equipamento pretende ser um espaço polivalente que, para além de reunir e expor informação interpretativa da fauna, flora, geologia, história, paisagem e etnografia da serra do Caramulo, possa ser também um ponto de paragem da “Rota dos Caleiros”, percurso pedestre já existente. É uma mais valia para aquela rota, uma vez que acrescenta uma dimensão pedagógica e interpretativa da zona, podendo ser assim explorado e aproveitado por vários públicos e com vários fins.

Este equipamento, localizado num dos mais esplêndidos miradouros da Serra do Caramulo, que se encontrava degradado e sem qualquer aproveitamento, pode ser agora “devolvido” para fruição da população local e visitante. O interior da antiga escola pode ser visitado mediante marcação prévia.

O projeto para a criação de um centro de observação da paisagem/natureza, na antiga escola primária do Jueus e a Oficina do Burel foi concebido pelo CEISCaramulo e foi concretizado, recorrendo a um pedido de apoio de financiamento ao PRODER. Contou com a prestimosa e inestimável colaboração da Câmara Municipal de Tondela, em particular do então vereador da cultura e hoje presidente da Câmara, Dr. José António de Jesus, e da ADICES. Não podemos esquecer o pessoal técnico da Câmara Municipal de Tondela e da ADICES que foram inexcedíveis para que a candidatura fosse entregue e tivéssemos conseguido o financiamento. A Junta de Freguesia do Guardão foi responsável pela valorização do espaço exterior. Fica aqui o nosso agradecimento público, bem haja!

– No dia 11 de julho deste ano foi apresentado publicamente o livro “Monstro fabuloso adormecido. Acorda, irrompe e urbaniza…” da autoria do Cónego José Ribeiro dos Santos, no ano em que completou 100 anos de idade! (Fotos 11 e 12). Foi Abade do Guardão e paroquiou aquela paróquia durante 56 anos, tendo reunido muito informação sobre a Serra do Caramulo e a freguesia do Guardão em particular. O presidente do CEISCaramulo, Dr. Luís Costa, colaborou na coordenação desta edição. O CEISCaramulo foi responsável pelo lançamento e divulgação do livro. É uma obra importante sobre a Serra do Caramulo e o seu património material e imaterial, muito bem recebida pelo público, ainda não passou um mês do lançamento do livro e já se encontra esgotado!

São pequenos passos que pretendem contribuir para encontrar um rumo para o “caminhar” das gentes deste território e para o seu desenvolvimento sustentável.

Os nossos agradecimentos a todos os parceiros do CEISCaramulo, a CMT, a ADICES, a JFG, o AETTRibeiro, a CCSC, o Museu do Caramulo, aos sócios do CEISCaramulo e em particular aos professores e funcionários da escola EB 2,3 do Caramulo.

Luís Costa

Presidente da direção do CEISCaramulo

 

Apresentação Pública 20.04
Foto 1 – Apresentação Pública 20/04

 

Apresentação Pública 20.04
Foto 1a – Apresentação Pública 20/04

 

Seminário 08/03
Foto 2 – Seminário 08/03

 

Campanha Reflorestação 22/03
Foto 3 – Campanha Reflorestação 22/03

 

Campanha Reflorestação 21/03
Foto 4 – Campanha Reflorestação 21/03

 

Caminhada Pedagógica 13/07
Foto 5 – Caminhada Pedagógica 13/07

 

Saída Campo Formação Professores
Foto 6 – Saída Campo Formação Professores

 

Escola dos nossos avós
Foto 7 – Escola dos nossos avós

 

Oficina do Burel
Foto 8 – Oficina do Burel

 

Posto de Observação da Natureza
Foto 9 – Posto de Observação da Natureza