As nossas plantas – ameaças e conservação

Ação de sensibilização à população do Caramulo

Como parceiros do agrupamento de escolas de Tondela Tomaz Ribeiro divulgamos a iniciativa que se reveste de grande importância para o território da serra do Caramulo:

Para conhecer a biodiversidade vegetal da serra do Caramulo, com destaque para as plantas ameaçadas de extinção, e para desenvolver estratégias de preservação/conservação, os alunos da escola básica do Caramulo, desenvolveram o projeto “Preservar para a biodiversidade aumentar”, premiado no concurso de ideias “Ciência na Escola” da Fundação Ilídio Pinho.

É no contexto deste projeto e do projeto “Renascer das Cinzas” do agrupamento de escolas de Tondela Tomaz Ribeiro que surgiu a ideia de organizar uma ação de sensibilização para a população. No dia 20 de maio, pelas 10 horas, na junta de freguesia de São João do Monte, o Dr. Pedro Ribeiro, que desenvolveu tese de doutoramento pela Universidade de Coimbra sobre a flora do Caramulo, vai dinamizar essa ação de sensibilização intitulada “As nossas plantas, ameaças e conservação”. É importante que os habitantes locais conheçam o património ambiental e em particular as plantas ameaçadas de extinção, para que possam contribuir para a sua proteção e conservação. Esta ação conta com uma saída de campo na zona envolvente ao rio e à vila de São João do Monte.

São parceiros desta atividade, para além do CEISCaramulo, vários organismos, nomeadamente a Associação Desportiva Cultural e Recreativa de São João do Monte, a Junta de Freguesia da União de Freguesias de Mosteirinho e São João do Monte, a Câmara Municipal de Tondela, o CEISCaramulo, a QUERCUS…”.

As Nossas Plantas - Ameaças e Conservação

No Caramulo, quase a tocar o céu!

No Caramulo, quase a tocar o céu!

No dia 7 de Abril saímos da Escola Secundária de Estarreja em direção à Serra do Caramulo. Tínhamos preparado esta visita de estudo com antecedência e estávamos ansiosos por a iniciar!

Esta saída de campo teve como principal objetivo reconhecer a biodiversidade e a geodiversidade desta região. De facto, achamos muito interessante este local, pois pudemos estudar  ambientes magmáticos, metamórficos e sedimentares e, para além disto, também foi possível observar diferentes tipos de plantas, em particular espécies características da floresta mediterrânica que tornam tão bonita a paisagem!

Globalmente, as saídas de campo são uma forma diferente e mais fácil de aprender, uma vez que estamos em contacto com a natureza e, por isso, aprendemos mais rapidamente as coisas do que se estivéssemos fechados numa sala de aula com um professor a ensinar. Numa sala de aula, acabamos por nos distrair mais facilmente do que se estivermos num ambiente exterior, pois a natureza capta-nos mais a atenção e incentiva-nos a compreender o porquê daquilo que observamos.

Mas há um agradecimento especial a fazer: Obrigado CEISCaramulo!

Em qualquer viagem deste tipo, é necessário um local onde se possa dormir, comer, descansar e, também, conviver.

A vossa ideia de utilizarem uma escola do 1ºCEB desativada que, como muitas no nosso país, poderia estar ao abandono, como Centro de Observação da Natureza, criando condições de alojamento para pequenos grupos é, sem dúvida, uma ideia excelente!

Estamos, por isso, muito gratos por nos permitirem passar estes dois dias na caraterística aldeia de Jueus onde pudemos, também, contar com a simpatia das gentes do Caramulo.

Foram dois dias fantásticos!

Os alunos do 10º B, da Escola Secundária de Estarreja.

CENTRO DE ESTUDOS E INTERPRETAÇÃO DA SERRA DO CARAMULO