A Serra do Caramulo como recurso didático

A Serra do Caramulo como recurso didático promotor da educação para a sustentabilidade é a designação de uma oficina de formação para pessoal docente que teve início em novembro de 2017 e terminará no final fevereiro do corrente ano.

Esta formação resulta da parceria entre o Centro de Estudos e Interpretação da Serra do Caramulo (CEISCaramulo), o Agrupamento de Escolas de Tondela Tomaz Ribeiro (AETTRibeiro), o Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão (CFAE-PB) e a Câmara Municipal de Tondela (CMT). O enquadramento teórico e prático da ação foi proposto pelo CEISCaramulo e pelo AETTRibeiro (no âmbito do projeto “Renascer das Cinzas”).

O CEISCaramulo é uma associação sem fins lucrativos que tem como missão promover o estudo e a investigação nos vários domínios e interesses, designadamente ambiental, geográfico, biológico, geológico, histórico, etnográfico e gastronómico da Serra do Caramulo. O Projeto “Renascer das Cinzas” tem vindo a ser desenvolvido pelo agrupamento de escolas de Tondela Tomaz Ribeiro e foi distinguido com o Prémio Escolar Montepio 2013. Conhecer o património natural, em particular a flora característica e autóctone da serra do Caramulo; pesquisar sobre os efeitos nefastos dos incêndios sobre a biodiversidade, águas e solos; refletir e agir fundamentadamente sobre medidas de planeamento do território e de recuperação do coberto vegetal e da floresta, são as linhas orientadoras deste projeto. No “Germinador de Plantas Autóctones”, estufa construída para o efeito na Escola Secundária de Tondela, são produzidas plantas, a partir das sementes recolhidas pelos alunos e restantes elementos da comunidade educativa. Estas plantas autóctones são utilizadas nas campanhas de reflorestação.

Constitui-se como objetivo central desta formação de professores a implementação de estratégias de ensino/aprendizagem promotoras do sucesso educativo, contextualizadas no território da Serra do Caramulo, que contribuam para o estudo do meio envolvente e promoção do desenvolvimento do território. Os conteúdos abordados serão apresentados sob a forma de vários produtos/materiais (ex.: painéis exteriores, filmes, quiosque multimédia, aplicação móvel, entre outros).

No passado dia vinte de janeiro, tal como estava previsto, os cerca de sessenta formandos e formadores participaram numa saída de Campo na Rota dos Caleiros/Caramulinho. Foi uma jornada exploratória muito interessante, mesmo para aqueles que já conheciam a rota. Os participantes são professores de várias disciplinas desde as Ciências Naturais (Biologia e Geologia), à Geografia, Filosofia, Matemática, Educação Visual, Economia, Educação Física, … Ficaram a conhecer a rota e o seu património que pode agora ser utilizado para contextualizar os conteúdos das disciplinas que lecionam nas suas escolas – são escolas do concelho de Tondela e dos concelhos vizinhos (Carregal do Sal, Santa Comba Dão, Mortágua e Viseu).

O “Posto de Observação da Natureza do Jueus” foi ponto de paragem para o almoço.

Neste edifício, antiga escola primária do Jueus, ficarão expostos os conteúdos trabalhados. Tal só será possível com prestimosa colaboração da Câmara Municipal de Tondela, a quem agradecemos na pessoa do seu presidente, Dr. José António de Jesus, que aliás apoiou esta iniciativa desde início, tendo disponibilizado o transporte para todos os formandos e assumindo o compromisso de materializar os painéis e os vários conteúdos produzidos. No dia 24 de março, todos estes materiais serão apresentados publicamente num seminário aberto a toda a comunidade.

No final desta formação, esperamos que o território da Serra do Caramulo, e em particular a “Rota dos Caleiros/Caramulinho” (local da visita/saída de campo) fiquem dotados de recursos que constituirão uma mais-valia para as escolas e para o território. Os mesmos serão explorados em contexto educativo e, simultaneamente, poderão ser aproveitados para que os habitantes locais e os visitantes se possam apropriar de informação relevante sobre o património do território (só poderemos valorizar e proteger o que conhecemos!…).

Importa referir que esta formação pode constituir-se como uma experiência de articulação curricular interdisciplinar, preparatória do trabalho que terá que ser desenvolvido nas escolas, no âmbito do novo enquadramento da autonomia e flexibilidade curricular dos ensinos básicos e secundários, já implementada em algumas escolas piloto, no presente ano letivo, e que será alargada a todas as escolas, no ano letivo de 2018-2019.

Para terminar, temos que agradecer aos formandos e formadores que disponibilizaram o seu tempo para realizarem este trabalho, bem como ao CFAE-PB e ao AETTRibeiro, aos sócios do CEISCaramulo que colaboraram em toda a logística, à junta de freguesia do Guardão que colaborou na limpeza dos espaços e em particular às pessoas do Jueus que tão bem nos acolheram.

Bem haja a todos.

CEISCaramulo